|
Renascença Ouve +
guialiga19_20_banner
Paulo Rodrigues, presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia ASPP Foto: Tiago Petinga/LUSA
Manifestação das forças de segurança

Paulo Rodrigues: “Há serviços que só funcionam por carolice dos polícias”

20 nov, 2019 - 20:41

Presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia admite que há “instabilidade interna”, “desmotivação” e “revolta” entre os operacionais, o que levou à convocação da manifestação desta quinta-feira.
Ministra da Agricultura: "Temos de ser cada vez mais rigorosos na gestão da água"
Hora da Verdade

Ministra da Agricultura: "Temos de ser cada vez mais rigorosos na gestão da água"

21 nov, 2019 - 00:00

A distribuição de competências tradicionais do Ministério da Agricultura pelo Ambiente e pela Coesão Territorial não preocupa a nova ministra, Maria do Céu Albuquerque. A política europeia caminha no sentido de uma maior integração entre Agricultura e Floresta, mas o Governo não se resigna a um "modelo convencional".
MINISTRO DO AMBIENTE NA RENASCENÇA
João Pedro Matos Fernandes, ministro do ambiente. Foto: Joana Gonçalves/ RR
fábrica de hidrogénio em Sines

​Governo quer lançar projeto em abril

20 nov, 2019 - 12:29

Cultura
Retrato de Pedro Cabrita Reis presente na exposição "Um Olhar Inquieto". Foto: Gonçalo Filipe Lopes
Pedro Cabrita Reis em Serralves

"Uma vastidão de objetos" faz "Um Olhar Inquieto"

19 nov, 2019 - 14:10

Jorge de Sena, crop de capa de livro
Centenário do nascimento

Biblioteca Nacional inaugura exposição sobre Jorge de Sena

18 nov, 2019 - 18:10

Jorge Cardinali Foto: DR
​De palhaço a toxicodependente sem-abrigo

Jorge Cardinali saiu do abismo e agora ajuda outros

13 nov, 2019 - 11:38

Manifestantes de Hong Kong queima bandeira da China em protesto. Foto: Tyrone Siu/Reuters
grande reportagem

Hong Kong. Um país, duas identidades

09 out, 2019 - 07:00

Uma lei de extradição de fugitivos que ia ser assinada com a China foi o rastilho para as ruas de Hong Kong explodirem em protestos, faz esta quarta-feira quatro meses. Ao início, as manifestações eram pacíficas, massivas e ruidosas. Mas embateram num manto de silêncio da parte do Governo de Carrie Lam e, desde então, a escalada de violência tem sido imparável. Os que saem à rua defendem que é a única forma de se fazerem ouvir pelo executivo e por Pequim. Um confronto sem fim à vista que fez emergir as diferenças latentes entre mundos opostos e identidades antagónicas.